A Dívida: Heitor de Lani Queiroz

469

Sinopse

Heitor Camargo Maxwell, é o CEO do conglomerado brasileiro de linhas aéreas, HTL Ocean Airlines, sediado em São Paulo. Um homem frio, implacável e cínico, que respira negócios. Aos trinta e sete anos nunca se permitiu viver nada além de sexo casual. Ele gosta de sua liberdade, mas, a necessidade de produzir um herdeiro se faz cada vez mais urgente à medida que o tempo passa.

Quando um antigo parceiro de negócios lhe dá um desfalque de milhões, Heitor vê a oportunidade perfeita de se vingar e, de quebra, obter o seu herdeiro: casando-se com uma das filhas do homem desonesto. Ele não quer amor. Essa não será uma união feliz, apenas um meio para um fim. Porém, tudo pode mudar quando o homem frio se vê diante da jovem, bela e doce Sofia.

Sofia Guimarães, é só mais uma jovem de dezoito anos, com muitos sonhos. O principal deles é se tornar uma bailarina reconhecida mundialmente. Quando se depara com o homem mais bonito e intimidante que já viu na vida, no escritório de seu pai, não tem ideia de que a vida como conhecia até aquele momento seria destruída. 

Seus sonhos adolescentes não existirão mais. Ela foi entregue por sua própria família para saldar uma dívida. Será a esposa troféu e incubadora particular do impiedoso Heitor Maxwell.

Ela promete a si mesma ser tão fria nessa relação quanto um iceberg. Porém, tudo muda quando seu marido a toca e a faz irrevogavelmente sua mulher. Ela o odeia, mas, ama ser tomada por ele noite após noite…

Uma madrasta malvada…
Uma meia-irmã invejosa…
Uma Cinderela contemporânea…
Um mocinho que nada tem de príncipe…

Esse é o primeiro livro da trilogia Turbulência. Não recomendado para menores de dezoito anos.


Link: Skoob | Comprar: Amazon

Resenha

Confesso a vocês que estou diante de uma situação complicada. Quem acompanha meu trabalho sabe que não costumo dar notas tão baixas para os livros que leio. Por sorte, as minhas leituras tem se mantido boas no decorrer desses 5 anos como blogueira literária, porém, vocês também sabem o quanto prezo pela sinceridade e minhas resenhas são sempre verdadeiras.

Não costumo classificar livros como “ruim” (raras exceções) porque a leitura é subjetiva, então, prefiro dizer que aquela leitura não foi pra mim, ou não estava no meu momento. Conto nos dedos a quantidade de livros que dei menos de 3 estrelas aqui no blog. Infelizmente A Dívida está entre os de nota baixa e foi classificado com duas flores. Não quer dizer que seja um livro ruim, mas tem muitas coisas que me incomodaram demais nele. Explicarei a seguir.

Antes de qualquer coisa, quero dizer que a Lani Queiroz escreve muito bem. Ela tem uma escrita bem fluida, instigante, com descrições perfeitas (até descritiva demais) e que faz o leitor querer ler a próxima página. Ela domina muito bem a arte de apresentar ao leitor os cenários e situações. Definitivamente não foi isso que me incomodou no livro.

O primeiro ponto que me incomodou horrores (e creio que quase 100% dos leitores) foi Heitor, nosso protagonista. Não consigo me lembrar de um personagem que me incomodou tanto quanto esse homem. Ele é machista ao extremo, misógino, arrogante, prepotente e não demonstra um pingo de respeito às mulheres que leva pra cama. A falta de atenção dos pais dele quando era criança é uma desculpa muito rasa pra ele ser como é. Tentei de todas as formas possíveis mudar minha visão dele quando a sua redenção aconteceu, mas não consegui. Não consegui porque não vi uma mudança no tratamento dele com Sofia.

O outro ponto incômodo, e esse é o que mais pesou, foi o relacionamento abusivo que foi sim romantizado nos primeiros 5 capítulos da obra. Sofia não teve opção de escolha, era abusada por Heitor fisicamente e psicologicamente, foi forçada a casar com um homem que a tratava pior que um montinho de lixo, forçada a transar com ele várias vezes. Existe uma linha bem tênue que separa a romantização da exposição de uma situação e essa linha ficou bem misturada aqui. No momento em que a autora usa o tesão que Sofia sente por seu agressor como a desculpa para ela aceitar tudo o que ele faz, mostrando que apesar dos pesares ela estava gostando daquela situação, a romantização da coisa fica evidente. E isso, isso eu não consigo engolir. Pensei por diversas vezes em abandonar a leitura, mas não consigo largar um livro.

Confesso que a única coisa que me fez continuar a ler foi a curiosidade em saber como seria essa grande mudança do Heitor… Mudança essa que não me convenceu em nada.

E aí eu preciso falar sobre os furos na história. Quando lemos a sinopse, acreditamos ser uma trama bem intrincada, com uma problemática digna de novela mexicana. A autora nos apresenta uma família completamente desestruturada de Sofia, com uma madrasta cruel e uma meia-irmã invejosa que prometem ser o calo no sapato dela. Adiciona outros personagens que competem com Heitor no quesito ranço e a gente fica sem saber quem odiar mais. O fato de Sofia amar o balé e ser obrigada a largar tudo também é algo que me levou a sentir mais empatia por ela. O problema é que tudo isso acabou se perdendo em determinado momento e a trama se resume a sexo entre Heitor e Sofia.

As coisas se resolvem muito rápido, quase como se tivessem sido jogadas ali no meio só pra gente ter uma resposta, sabe? Ficou muito raso e a coisa toda se perdeu. O foco ficou totalmente nas cenas de sexo. Apesar de gostar muito de ler hot, preciso dizer que chegou um momento em que essas cenas me entediaram e ficaram repetitivas, me levando a pular várias páginas.

Resumindo, Heitor não conseguiu se redimir comigo. Sim, ele mudou, reconheceu que era um merda e tentou ser uma pessoa melhor, mas ele não conseguiu me fazer gostar dele. Vou dizer uma coisa, até de Sofia eu senti raiva no livro. A única pessoa que conquistou meu coração de verdade foi a vó Mag. Foi uma leitura que me fez sentir muita raiva dos personagens, das atitudes deles e não me diverti lendo o livro. 

Quero deixar bem claro que essa é a minha opinião pessoal (sim, estou sendo redundante propositalmente) sobre a leitura. Tem muitas pessoas que leram o livro e amaram tudo. Infelizmente A Dívida não foi pra mim, mas, se você gosta de uma leitura com muito sexo, um CEO boçal que tenta se redimir no final e uma menina que mostra sua força, caia de cabeça na leitura e depois me conta o que achou!

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

2 Erótico

Infelizmente A Dívida não foi pra mim, mas, se você gosta de uma leitura com muito sexo, um CEO boçal que tenta se redimir no final e uma menina que mostra sua força, caia de cabeça na leitura e depois me conta o que achou!

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.