A odisseia de Reveillon com meu idosinho doente…

455

Segundo a minha mãe, meu primeiro bichinho de estimação  conheci desde que estava na barriga dela. Aliás, isso é até um fato engraçado para contar a vocês.

Meu primeiro amiguinho foi uma cadelinha chamada Negrita. Ela era da raça Pequinês (quase extinta infelizmente), bem pretinha e com os pelos longos e lisos. Negrita tinha um franjão. Os pelos ficavam caindo nos olhinhos dela….lisos e sedosos! De dar inveja em qualquer um. Bem, eu nasci bem cabeludinha. Uma recém-nascida com cabelos bem pretos e com franjão. Isso te lembra alguma coisa? Se você pensou na Negrita, acertou em cheio! Minha mãe me contou que quando me pegou nos braços começou a chorar desesperada dizendo que ela tinha olhado muito pra Negrita quando estava grávida e eu nasci parecida com a cadela.  Quando ela me contou isso eu quase morri de tanto rir. Sei que é isso que você está fazendo agora…

Do dia em que nasci até hoje, sempre me vi rodeada por animais de estimação. Quando falo animais, você pode pensar em gatos, cachorros, periquitos, papagaio, galinhas, guinés… Já criei de tudo que você possa imaginar, mas atualmente tenho apenas cachorros, sete para ser mais específica. Dois deles são idosos e o meu mais idoso tem 18 anos. É sobre minha última experiência com ele que quero falar hoje.

Xaropinho é um mestiço de Pequinês com Poodle, nasceu aqui em casa e já está em nosso convívio a 18 anos. Por incrível que pareça ele já quase morreu umas 3 vezes e essa última semana foi muito tensa. Com a idade ele ficou cego, com artrose, teve convulsões, labirintite e Alzeheimer. Precisa de cuidados extremos e de um dia pro outro ele ficou muito doente. Tipo, na noite do dia 30. Cadê veterinário essa hora?

xarope2

Me vi numa situação desesperadora. Ele com muita diarreia, vomitando e mal conseguindo ficar de pé. Tudo fechado, nada de veterinários por aqui e eu sem saber o que fazer. Tentei entrar em contato com alguns amigos veterinários sem sucesso. Meu cachorro não conseguia comer nada e nem beber água. Tentei me acalmar e pensar. Não quis dar nenhum remédio pra ele por medo de piorar a situação, então comecei a dar água de coco. Passei a véspera de ano novo em claro, com ele passando mal. Dormir? Passei uma semana dando cochilos de meia hora entre os intervalos em que ele acordava passando mal. Meu filho só conseguia tomar água de coco, até que não aguentei mais, dois dias haviam se passado com ele assim e resolvi dar um remédio que tinha em casa fitoterápico (não façam isso! Foi um momento de desespero meu já que não conseguia achar um veterinário). O remédio só aliviou as dores, mas não resolveu.

Uma amiga tentou me ajudar e conversou com um amigo vet dela que me orientou a dar uma medicação. Essa medicação ajudou ele a comer, mas ele só aceitava comer pão com água de coco. Isso foi o 4º dia de minha agonia. Quando pensei que ele estava melhorando, ele ficou muito pior do que antes. Não parava de vomitar, estava muito fraco e com diarreia pior que antes. Finalmente minha amiga respondeu minhas mensagens e me mandou dar um antibiótico pra ele. Meu pai estava trabalhando e mandei mensagem pra ele comprar o remédio. Eu extremamente cansada e ele aperriado, nem me lembrei de dizer que era remédio vet e ele foi só a noite em uma farmácia comprar o remédio, que não encontrou, é óbvio. Isso era um sábado. Onde comprar remédio de uso veterinário num domingo depois de um feriadão? Começou uma verdadeira odisseia!

Para resumir a história, depois de muito andar, ele conseguiu encontrar um pet shop aberto e comprou o remédio. Dei imediatamente a medicação para meu filho e no final do dia já comecei a ver uma melhora. Finalmente ele melhorou e posso dizer que hoje ele está bom para meu alívio.

xarope3

Tudo isso me fez pensar em algumas coisas. Ter um animal idoso não é fácil. Dá trabalho e é preciso ter muito amor e carinho para cuidar deles. É como ter um bebê em casa. Eles precisam de fralda, cuidados extras e uma atenção com a alimentação. Como eu falei, passei 1 semana inteira sem dormir e mesmo quando ele não está doente, minhas noites são meio insones. Acordo várias vezes para cuidar dele. Infelizmente muitas pessoas abandonam seus animais quando chegam a uma certa idade e começam a dar trabalho. Esquecem de tudo que já passaram juntos e simplesmente os descarta por ser um bichinho. Esquecem que são vidinhas que sentem como nós. Lembre sempre que essa vida depende de você.

Sei que em breve meu Xarope irá partir, mas tenho certeza que quando esse dia chegar ele vai levar todo amor que tenho por ele. Não abandone seu bichinho só porque ele ficou velho. Dê amor e carinho que com toda certeza você será recompensado por isso. Bom, só queria compartilhar com vocês essa experiência.

E você, tem algum idosinho em casa? Já passou por algo parecido?

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.