Até o Fim do Mundo de Tommy Wallach

155

Ninguém gosta de falar sobre o fim, de pensar sobre o fim, mas ele chega para cada um de nós e está cada vez mais próximo.

Sinopse

 

Antes do asteroide, eles eram definidos por rótulos: o atleta, a excluída, o vagabundo, a perfeitinha. Mas então tudo mudou. Agora eles têm dois meses para encontrar um significado. Dois meses para realmente viver.

Dizem que o colégio é a melhor época da vida. Peter, a estrela do time de basquete, está preocupado que essa afirmação possa ser verdadeira. Enquanto isso, Eliza não vê a hora de escapar de Seattle, e da reputação que a persegue; e a perfeita — ao menos no papel — Anita se pergunta se a admissão em uma das melhores universidades do país vale realmente o preço de abandonar seus sonhos. Andy, por sua vez, não entende todo o rebuliço em relação à faculdade e carreira — o futuro pode esperar.
Será? Porque parece que o futuro está prestes a se chocar com a Terra, vindo do espaço, com o potencial de acabar com a vida no planeta. Enquanto esses quatro estudantes do último ano aguardam — assim como o restante do mundo — para saber quais serão os estragos do asteroide, devem abandonar todos os pensamentos sobre o futuro e decidir como passar o que resta do presente.
Neste livro esperto e envolvente, quatro adolescentes arriscam seus sonhos, seu coração e sua humanidade para ir em busca daquilo que realmente vale a pena.

Links: Skoob | Comprar: SaraivaSubmarinoAmazonCultura

Resenha

Até o Fim do Mundo foi um livro que me fez pensar milhões de coisas desde a primeira vez que li a sinopse, teve minha atenção desde o início. O que eu faria se tivesse apenas dois meses de vida, mais dois meses para viver (ou sobreviver)? E se todos estivessem com seus dias contados na terra, seguindo o mesmo cronômetro, como eles reagiriam? Sabemos que a natureza humana é tendenciosa ao caos em meio ao desespero, mas como eu responderia a isso? Até onde meus ideais morais permaneceriam intactos?

Os protagonistas são adolescentes, então toda a crise de identidade, ansiedade e euforia características desta fase estão presentes do início ao fim do livro. Os capítulos alternam-se entre os quatro: Peter, Anita, Eliza e Andy. Assim, podemos conhecer uma determinada situação do ponto de vista de mais de um personagem (o que é bem legal), além de conhecer mais intimamente cada um com suas situações individuais (seja com suas famílias ou com seus sonhos e pesadelos). Apesar dos estereótipos, posso dizer que de alguma forma todos eles me surpreenderam.

Como todo, o livro traz uma proposta de leitura muito boa, mas tenho que confessar que em alguns momentos eu me peguei dizendo: “isso aqui poderia facilmente ser retirado que não faria diferença nenhuma”. Digamos que há detalhes desnecessários (em minha opinião), que se fosse adaptado para uma série de televisão poderia fazer mais sentido. Há também algumas situações que, para estarem ali, achei um pouco “forçação de barra”, outras situações que poderiam ter sido aproveitadas melhor. Contudo, a narrativa flui bem. Eu recomendo a leitura, apesar disso.

Uma das primeiras perguntas que o livro joga na cara é: “você acha melhor fracassar em algo importante ou ter sucesso em algo sem importância?”. Se o livro me surpreendeu? Várias vezes. Eu, particularmente, ainda estou digerindo o final. Nem todo mundo teve o que mereceu, é verdade, mas a vida tem essas coisas.

Se o autor queria passar alguma mensagem através desse livro, acredito que seja:

Ninguém gosta de falar sobre o fim, de pensar sobre o fim, mas ele chega para cada um de nós e está cada vez mais próximo. O fim pode não vir por um asteroide, mas quantos fins chegam por doenças, acidentes e violências? Você pode recuperar várias coisas na sua vida, menos o tempo perdido. Há oportunidades que não voltam. O jardim do vizinho nem sempre é mais verde. Todo mundo tem problemas. Nenhuma família é perfeita. O desespero muda as pessoas (ou revelam quem elas são). Reveja suas prioridades. Dê mais valor aos detalhes. Cada dia é um milagre.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

4 Jovem Adulto

Ninguém gosta de falar sobre o fim, de pensar sobre o fim, mas ele chega para cada um de nós e está cada vez mais próximo.

About The Author

Professora de matemática e leitora apaixonada.