Casulos de Ricardo Mesquita

421

Uma história insana, com um mistério envolvente e personagens enigmáticos. A narrativa tem um ritmo frenético e o cenário pós-apocalíptico é a cereja do bolo.

Sinopse

Um homem sem lembranças concretas de si mesmo e de seu passado acorda num casulo gelatinoso de cor âmbar. Ao mesmo tempo que tenta sobreviver num mundo deteriorado e, aparentemente, sem ninguém, busca também por respostas sobre si mesmo e sobre o que aconteceu. Acordando sempre no primeiro raiar de sol e dormindo sempre na alvorada, Adam divide o seu dia alternando entre o “Mundo dos Casulos” e o “Mundo do Hospital”. Pouco a
pouco, descobre o que de fato está acontecendo consigo e com as outras pessoas ao redor.


Link: Skoob | Comprar: Editora – Amazon

Resenha

Já aconteceu com você de pegar um livro para ler antes de dormir – despretensiosamente – e ficar naquela de “só mais esse capítulo e eu vou dormir”? E o pior, quando se dá conta, chegou na última página porque não conseguiu desgrudar o olho da história mesmo morrendo de sono? Foi exatamente isso que Casulos fez comigo.

Não sei dizer se foram os capítulos curtos e recheados de mistério (milhões de perguntas e poucas respostas), com ganchos que te obrigam a continuar a leitura ou se foi o cenário pós-apocalíptico que me prendeu. Só sei que devorei o livro e levei só umas 3 horinhas pra concluir ele.

Adam é o nosso protagonista. Ele acorda dentro de um casulo cor de âmbar, desorientado, sem saber como chegou ali e totalmente sem memória. Além de estar dentro dessa coisa, o casulo caiu em um lago.  Ele consegue se libertar da membrana que o “aprisionava” e ao chegar em terra seca – depois de quase morrer afogado – se depara com um mundo desabitado. Sem saber seu próprio nome, completamente perdido (igual a nós, leitores) e diversas perguntas sem respostas, ele vai em direção à cidade, em busca de outro ser vivo que possa informar o que aconteceu.

Mas, durante a sua busca, ele tem um lampejo de memória e lembrou que não caiu sozinho naquele lago. Adam volta para o lugar e encontra o outro casulo. A tentativa de salvar o outro ser humano acabou com suas forças e ao libertar o homem do casulo, ele apaga. Ao acordar, percebe que está em um hospital, ainda sem memória e sem conseguir controlar seu corpo.

Qual realidade é a verdadeira?

Nosso protagonista acorda nos primeiros raios de sol e no findar da tarde é acometido por um apagão, o fazendo acordar sempre em um dos dois mundos no dia seguinte. Vivendo entre o “mundo do casulo” e o “mundo do hospital”, coisas esquisitas acontecem e assim como Adam, o leitor tenta encontrar respostas para definir o que realmente está acontecendo.

O mistério dessa narrativa é tão intenso e nos prende tanto que não consegui definir qual das duas realidades que Adam caminha é a verdadeira. Esse, pra mim, foi o grande mistério que tentei desvendar e confesso a vocês que estou até agora tentando decidir qual mundo é o verdadeiro ou se os dois o são.

Ricardo Mesquita trabalha muito bem a curiosidade do leitor, terminando cada capítulo com respostas à conta-gotas e uma pergunta ainda maior que a anterior. Ele brinca com o leitor, nos envolvendo no mistério desses mundos e das pessoas que compõem os dois universos. 

Os ambientes são misteriosos. Os personagens secundários sãos mais misteriosos ainda. As intenções das pessoas é uma incógnita sem tamanho. O mistério que envolve a vida de Adam, o tal “acidente” e o envolvimento dele com cada personagem que aparece, me deixou com milhões de questionamentos e algumas teorias, mas no final das contas terminei a leitura com várias interrogações.

Casulos é o primeiro livro da trilogia e ele consegue ambientar torturar o leitor nesse universo fantástico futurista. Se a intenção do autor era envolver o leitor nessa história insana e nos deixar desesperados pela continuação, ele conseguiu, pois estou aqui quase desenhando nas paredes em busca de respostas. 

Uma história insana, com um mistério envolvente e personagens enigmáticos. A narrativa tem um ritmo frenético e o cenário pós-apocalíptico é a cereja do bolo. Recomendo a leitura para quem ama distopias, fantasia e um ótimo mistério.

Eu PRECISO da continuação!

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

5 Fantasia

Uma história insana, com um mistério envolvente e personagens enigmáticos. A narrativa tem um ritmo frenético e o cenário pós-apocalíptico é a cereja do bolo.

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.