Crônicas Diárias | O Camundongo

126

O camundongo

Por Thaisa Lima

Encontrei um ratinho se afogando num balde, em meu quintal. Dentro do balde havia uma mistura de água com água sanitária. Ele estava exausto, prestes a perecer. Quando me viu, quase aceitou o destino de morte certa.

Olhei sem saber o que fazer.

Ele arfava, lutava pela vida, erguia as mãozinhas implorando por socorro.  O desespero do bichinho me comoveu. Catei um pote de margarina velho e o tirei do balde. Seus pezinhos se agarraram àquilo como um bote de salvação (o que realmente era), e ele me olhou, esticando um minúsculo bracinho, em agradecimento.

Soltei o pobrezinho na rua, perto de uma boca de lobo.

Dois dias depois…

3:00h

Encontrei o “afogado” passeando na cozinha. Meus cachorros não viram.  

Ele correu quando me viu, passou pela fresta da porta e sumiu na escuridão da madrugada.

Três madrugadas depois…

3:30h

Acordei para beber água. Tica e Arita descobriram a existência do rato.

Acabou o sossego do roedor e o meu também. Vi o dia clarear…

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.