É melhor sofrer por amor do que nunca ter amado?

1453

Por mais que eu já tenha passado por essa situação algumas vezes em minha vida, nunca estou preparada para vivê-la novamente. Quando um relacionamento chega ao fim e ainda existe amor para uma das partes, a dor é uma consequência do término. Sofrer por amor nunca será algo fácil.

Posso afirmar para vocês que já tenho uma certa bagagem nesse assunto. Não consigo entrar em um relacionamento e ficar policiando meus sentimentos. Para mim, estar em um relacionamento é deixar os sentimentos livres para agirem como bem entender, então acabo me apaixonando e me dedicando à pessoa. Como consequência disso: acabo sofrendo por amor com o fim.

Já passei por muitas desilusões, decepções, dias tenebrosos de sofrimento… Aquela dor característica no peito, que parece que tem uma mão invisível apertando seu coração, vontade de chorar o tempo inteiro, sensação de que o mundo está desmoronando sobre sua cabeça e a velha e boa perguntinha “por que?” são velhos companheiros meus. Já posso até dizer que somos amigos de longas datas… Não encontrei com eles 1 ou 2 vezes não… foram algumas vezes e recentemente vieram me dá um alô e saber como tenho passado.

Sofrer por amor vale a pena?

14233209_10208161303344069_6105218336316988799_nTudo isso passa? Sim, passa. Por mais que achemos que essa dor nunca vai passar, o tempo cura tudo e a dor ameniza, o grande problema é que ela deixa marcas e marcas muitas vezes perigosas em nosso coração (na verdade, em nossa alma). A “dor de amor” se manifesta de maneiras bem diferente em cada pessoa. Alguns conseguem superar esses dias tristes com chocolate (ou um novo amor), porém, outros desenvolvem alguns “problemas” mais sérios, como por exemplo: depressão, cometem suicídio, se isolam. O mais comum de acontecer é trancarmos o nosso coração a 7 chaves (principalmente na primeira desilusão amorosa) e não deixar mais ninguém entrar, afinal, nossa mente acredita que todos farão a mesma coisa. É uma forma de defesa, mas uma defesa que nos impede de ser feliz com outra pessoa.

Hoje em dia vivemos num mundo onde os relacionamentos estão cada vez mais descartáveis. Onde o significado de amor já não é mais o mesmo e os sentimentos estão completamente superficiais. É difícil encontrar alguém que quer algo sério de verdade. Tem uma parte de uma crônica do Carpinejar que gosto bastante:

Amor é jamais anular a possibilidade do outro de errar. Mesmo que custe mágoa, dor, ódio.
É viver com a porta aberta em vez de chavear pelo medo de perder alguém.
É não se prevenir, não controlar, não ser mais inteligente do que os fatos, não se proteger com ameaças.
É se oferecer inteiro, podendo ser enganado a qualquer momento. É se doar inteiro, permitindo que nossa companhia demonstre, dia a dia, quem ela é. (…)” – Carpinejar (Felicidade Incurável)

Apesar de ter sofrido muito por amor (e estar passando por um momento bem difícil), sempre optei por acreditar no amor. Não vou tirar de mim mesma a chance de conhecer uma pessoa legal e ser feliz num relacionamento. É difícil sofrer por amor? Sim, é muito! Mas vale a pena amar e ser correspondido.

O título desse post é uma parte da letra de uma música, só que lá não é uma pergunta, é uma afirmação. Claramente a pessoa que escreveu a letra dessa música nunca sofreu por amor de verdade. Na minha opinião, não é melhor sofrer por amor do que nunca ter amado, o melhor mesmo é amar e ser amado!

Amar é se doar, é acreditar. Vamos buscar pessoas que saibam valorizar essas coisas e que tenham os mesmos objetivos de vida que os nossos. A vida pode ser cruel as vezes, pode machucar, ferir… mas ainda acredito no amor.

E você, o que acha? Acha que vale a pena sofrer por amor, já que isso significa que você é capaz de amar alguém?

Total 6 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.

  • Fabio Baptista

    Tem aquela máxima manjada do Nietzsche que diz “tudo que não nos mata, nos fortalece”. A decepção de amor não mata (isoladamente), mas não tenho certeza até que ponto ela nos fortalece, ou nos torna mais indiferentes, com o coração trancado à sete chaves como você mencionou. A indiferença é um tipo de força? Acho que não. Ela nos leva a um mundo sem cor, sem desilusões, mas também sem alegria. Uma vida insossa. Porém, talvez à longo prazo o filósofo bigodudo tenha razão, pois da indiferença pode sair um espírito renovado, aberto aos encantos do mundo, mas sábio o suficiente para aceitar que tudo é passageiro, tudo é emprestado, que nada é nosso de fato. Talvez essa seja a mais bela de todas as epifanias. Um dia, espero descobrir. Por enquanto, ainda estou a anos-luz desse nível de maturidade rsrs. Beijão, Thaisa! Mandou bem no texto! S2

    • Thaisa Lima

      Tenho minhas dúvidas quanto à indiferença ser algo benéfico. Algumas pessoas conseguem evoluir de forma positiva, já a grande maioria acaba generalizando e acha que todo mundo é igual a quem o fez sofrer e com isso acaba fazendo outras pessoas sofrerem e isso vira um ciclo vicioso. Só espero que mais pessoas consigam aprender com a vida e ter mais maturidade. E que no final, o amor seja maior. Brigada lindo <3

  • Greice Negrini

    Cara, que lindo este teu texto e já te disse que esta foto ficou maravilhosa. Sabemos como é este sofrimento e o quanto ele traz de emoção e sofrimento, mas temos que seguir né.

    Parabéns!