Estou sozinha… fracassei?

255

A maioria das mulheres de minha geração foi ensinada de que para ser feliz (completamente) seria necessário encontrar um príncipe encantado, casar e ter filhos. Estar solteira ao atingir uma certa idade significava fracasso. Esse pensamento de que “é preciso ter alguém para ser uma pessoa completa e feliz” foi incutido em nossas cabeças (sim, na minha também), de tal forma, que o estar sozinha provoca dor, um sentimento de derrota e uma solidão enorme. Quantas mulheres infelizes, depressivas, solitárias e tristes existem por aí, por causa de um ensinamento tão errado! Eu conheço várias e até pouco tempo atrás, acreditava cegamente de que para ser feliz de verdade eu precisava encontrar um amor (casamento). Quando meus relacionamentos acabavam, isso me destruía de diversas formas. Além do peso do fim, a carga psicológica do “fracasso” era ainda mais pesada. Fracasso por não ter sido uma mulher boa o suficiente para manter um relacionamento. Como se isso dependesse apenas de mim!

A solidão me sufocava, me cegava e me fazia sentir diminuída. É uma sensação tão ruim que nem consigo definir em palavras. Estar sozinha, sem estar dentro de um relacionamento, tinham vários significados e nenhum deles me fazia bem. A “solidão” me deixava carente, ao ponto de aceitar qualquer tipo de relacionamento para suprir essa ânsia por encontrar alguém e “finalmente vencer na vida”.

Claro que pensar e agir assim é totalmente errado e até mesmo nocivo. O que ganhei com isso? Uma bagagem enorme de sentimentos frustrados, cicatrizes na alma, relacionamentos fracassados e a dona depressão. Anos vivendo assim, buscando algo perfeito e encontrando migalhas. Anos acreditando em algo que não é real… Anos tentando encontrar a felicidade em outras pessoas.

Até que um belo dia eu descobri que tudo o que tentaram me fazer acreditar é uma grande de uma mentira. Eu não preciso de um amor para ser feliz. A “solidão” não é ruim e ela pode ser muito boa para mim. É sozinha que mantenho maior contato comigo mesma, que me reencontro e me encontro. Foi no silêncio da solidão que aprendi a me amar, a compreender que eu sou mais do que suficiente para ser feliz. Eu não preciso estar casada, ter um “príncipe encantado” ou ser mãe para ser completa. Quando estamos satisfeitos apenas com a nossa presença, estar sozinho é uma ótima companhia.

Quem disse que estamos sós?

Mas, quem disse que estamos sós? Aprendi que preciso de apenas duas pessoas para ser completa, feliz e realizada: Jesus (minha fé) e eu mesma. Sim, essas duas “presenças” são suficientes em minha vida para me fazer feliz. Não vou dizer aqui que é fácil mudar o pensamento de uma vida inteira, é uma desconstrução diária, de aceitação, de reconhecimento e, acima de tudo, um trabalhar constante de minha fé.

Tem 3 anos que terminei meu último relacionamento e estou bem em estar sozinha até hoje. Não vou dizer a você que é fácil me manter bem. Existem momentos que aqueles velhos sentimentos tentam sair das profundezas e passear pela superfície, mas trato de empurrá-los de volta para o fundo do oceano e sorrio. Como falei, é uma desconstrução e uma luta diária.

Bom, o que quero dizer com todo esse texto? Quero dizer que você só precisa de você mesma (o) para ser feliz, completa e realizada. Siga seus sonhos, lute por eles que o amor, o casamento e os filhos, serão um complemento em sua vida e não o motivo de você sorrir. Se ame! Você é suficiente!!

Total 3 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.