Ninfeias Negras de Michel Bussi (Resenha)

538

Um livro que foi escrito para o leitor não descobrir o final. Ao concluir essa leitura você vai ficar se perguntando como tudo aconteceu e você nem percebeu as mudanças!

Sinopse

 

Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.
É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte – principalmente as protagonistas.
Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

Link: Skoob | Comprar: SaraivaSubmarinoAmazon

Resenha

Preciso confessar que fazer a resenha desse livro está sendo muito difícil. Difícil porque não posso escrever tudo o que estou com vontade, ou darei spoiler. O que vocês precisam saber é que estou me sentindo como se tivesse sido atropelada por um caminhão!

Ninfeias Negras me despertou sentimentos muito controversos. Após concluir a leitura, não consegui definir se amei ou se odiei o livro. Acho que as duas coisas aconteceram ao mesmo tempo!

Geralmente nos romances policiais todo o enredo é construído para que o leitor descubra o grande mistério que é revelado no final, certo? As vezes, leitores mais atentos conseguem descobrir esse mistério bem antes da conclusão da leitura. Não é o caso de Ninfeias Negras. Ele não tem uma história cujo objetivo é fazer o leitor descobrir o final. Apesar de algumas coisas eu ter conseguido desconfiar, jamais imaginei o final da história! Estou até agora me perguntando como foi que tudo mudou tão de repente e eu não percebi!!

A escrita do Michel Bussi é fantástica e ele desenvolveu uma narrativa tão inteligente e tão envolvente, que leitores desatentos vão se sentir completamente perdidos em um determinado ponto da história. Intercalar a narrativa entre primeira e terceira pessoa foi fundamental para me deixar completamente embasbacada quando finalmente compreendi o que estava acontecendo de verdade. Realmente me surpreendi com o desfecho da trama.

O livro é inteligente, diferente, instigante, mas possui uma narrativa lenta. O que me levou a não dar 5 estrelas para ele foi porque achei a narrativa um pouco massante. Na minha opinião, o autor se prendeu muito em falar sobre a história da arte, sobre Monet, sobre as Ninfeias e algumas partes do livro poderiam ser mais enxutas, ou até mesmo não existir. Foi importante para a construção da nossa personagem-narradora? Sim e não… ainda continuo achando que algumas coisas poderiam não estar ali escritas. As primeiras 120 páginas não me chamaram muito a atenção, mas insisti na leitura.

Tirando as partes massantes, os personagens foram muito bem construídos e o enredo é fantástico! Em um determinado momento o livro despertou o Sherlock Holmes que existe em mim e fiquei louca pra decifrar os mistérios, mas por mais que o leitor tente, esse livro foi escrito para você NÃO descobrir o final da história. E puta merda, que final!

Se você ama arte, com certeza vai amar essa leitura. Esse livro é um tributo à Monet, ao Impressionismo e à arte! Mais do que recomendado para os amantes do suspense e de romances policiais.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

4 Policial

Um livro que foi escrito para o leitor não descobrir o final. Ao concluir essa leitura você vai ficar se perguntando como tudo aconteceu e você nem percebeu as mudanças!

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.