O Feiticeiro de Terramar de Ursula K. Le Guin (Resenha)

571

Um jovem mago que está destinado a grandes feitos. Esse parece ser um dos clichês máximos dos livros de fantasia envolvendo magia, mas Ursula K. Le Guin constrói um mundo incrível, e eu duvido você entrar nesse universo e não ficar completamente apaixonado.

Sinopse

 

Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.

Link: Skoob | Comprar: Saraiva – Amazon

Resenha

Quando pensamos em jovens magos destinados a grandeza logo alguns nomes me vem a mente como Harry Potter, Timothy Hunt, Eragon, entretanto, em 1968, Ursula K. Le Guin “deu a vida” ao jovem chamado Gavião, o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos, e com certeza uma grande inspiração para os seus sucessores! Mas, este livro não nos apresenta o mago em sua plenitude, mas sim o começo de sua jornada, quando Gavião ainda era o pequeno Duny, que se tornaria no jovem Ged.

Ged foi criado pelo pai com ajuda de sua tia, pois quando sua mãe falecera, ele ainda era muito novo. Ferreiro sem instrução, o pai de Ged queria que o garoto aprendesse o ofício, mas ele não queria o mesmo. Passava as tardes brincando, até o dia que viu a tia fazendo um feitiço. Ele não sabia o que as palavras significavam, mas as utilizou e conjurou um feitiço sobre as cabras, o que fez sua tia perceber que ele possuía um grande potencial, e ela começou a ensiná-lo tudo que sabia.

Na pré adolescência, sua ilha (deixar uma ressalva aqui, o mundo do livro é todo composto por ilhas e arquipélagos) foi atacada por selvagens, e o garoto acaba conseguindo salvar sua comunidade utilizando uma magia que até então ele não havia aprendido. Com esse feito, ele ganha fama em outras terras, e é esta fama que chama a atenção do mago Ogion, que o tornou aprendiz e posteriormente o encaminha para uma escola de magos (e não, não é Hogwarts). E é nesta escola onde Ged utiliza uma magia proibida e começa a ser “assombrado” por um mal que não irei contar para não estragar a leitura de ninguém.

Ao longo das páginas, nós vamos acompanhando o crescimento de Ged de um garoto inconsequente para um sábio mago. Assim como qualquer pessoa, ele passou por provações e experiências que deixaram marcas em sua alma, e em seu corpo também. A história possui uma simplicidade deliciosa ao mesmo tempo que consegue explicar para o leitor o que é a magia e como de certa forma ela funciona.  Algo que não me agradou muito, foram as partes onde há as explicações dos processos de navegação e dados cartográficos, achei um pouco enfadonho, mas nada que atrapalhasse a história.

Eu nunca havia lido nada da autora, e devo dizer que me encantei com a sua escrita e sua escolha de personagens. Mesmo hoje em dia é raro encontrar obras com personagens principais com tons de pele mais escuros, imagine em 1968 quando o livro foi lançado. Ele nunca esteve entre os mais vendidos, mas é considerado um clássico da literatura do gênero e merece ser apreciado. Se você gosta de livros de fantasia, com certeza irá apreciar este também. E até se você não for muito fã do gênero é capaz de se encantar.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Classificação
Narrativa
Personagens
Enredo
Capa
4.2 Fantasia

Um jovem mago que está destinado a grandes feitos. Esse parece ser um dos clichês máximos dos livros de fantasia envolvendo magia, mas Ursula K. Le Guin constrói um mundo incrível, e eu duvido você entrar nesse universo e não ficar completamente apaixonado.

About The Author

Acadêmica do curso de Sistemas de Informação – UESB. Blogueira, Beatlemaníaca, leitora compulsiva e cinéfila.