Os Perigos do Chocolate para seu Cão e Gato

281

O consumo de chocolate pode matar cães e gatos. Cuidado!

Esta é uma época do ano muito perigosa para nossos peludos. No período da Páscoa, a quantidade de chocolate dentro de casa aumenta exponencialmente, afinal, quem não ama um ovo de páscoa? E é justamente por ter ovos espalhados pela casa que o cuidado do dono precisa ser redobrado.

Todos os donos de pets sabem que cães e gatos são igual uma criança no quesito fazer traquinagem. Basta um pequeno descuido que a bagunça acontece. Se seu peludo for daqueles bem curiosos e espertos, pode ser atraído pelo cheiro do chocolate (dos ovos, ou mesmo caixa de chocolate) e quando você menos perceber, aquela barra de chocolate ou ovo de páscoa, já era. Tenha cuidado porque isso pode matar seu bichinho!

Calma, não precisa entrar em desespero se o seu animal comer um M&M que caiu no chão. O chocolate é tóxico para o animal, mas não é uma quantidade tão pequena que irá matá-lo, mas essa pequena quantidade poderá trazer danos à saúde do animal.

Por que cães e gatos não podem comer chocolate?

Não custa nada repetir  a informação: o chocolate é um veneno para cachorros e gatos! Então, se você ama compartilhar um pedacinho “do néctar dos deuses” (sim, eu sou chocólatra) com seu amiguinho, esteja ciente de que você está prejudicando e muito o seu animal.

O chocolate, assim como o café e alguns tipos de chá, possui uma substância (alcaloide) chamada Teobromina que, ao ser ingerida, provoca no animal um aumento nas contrações do coração,  o que se relaciona à capacidade do músculo de responder a um estímulo.

Também funciona como um potente diurético que provoca desidratação, vômitos, problemas estomacais, intestinais, diarreia, entre outros.

Em concentrações muito altas pode afetar consideravelmente o sistema nervoso e, em casos muito severos, pode levar até mesmo a morte do animal.

Por que humanos podem comer chocolate e os cães e gatos não?

Essa pergunta é bem fácil de responder. Os organismos dos seres humanos e dos peludos são muito diferentes e tudo está diretamente relacionado ao metabolismo de cada um deles.

Os humanos metabolizam a teobromina em um espaço muito curto, evitando sua acumulação nos órgãos e, dessa forma, impedindo que a presença do alcaloide afete os mesmos.

No entanto, ele pode permanecer entre 17 e 72 horas no organismo do cachorro, dependendo da concentração e da quantidade ingerida, produzindo constrições arteriais e taquicardia.

O chocolate integra a lista dos alimentos proibidos para cães e gatos (veja aqui), uma vez que oferece grande risco a esses animais.  A teobromina também é tóxica para porcos e cavalos.

Tipos de Chocolate x Danos Diferentes

A concentração de teobromina depende da qualidade e do tipo de cacau usados na produção do chocolate. Quanto mais puro o produto, maior sua concentração. A recomendação é não dar chocolate (e seus derivados) ao seu animal.

É mais seguro e saudável você comprar chocolates específicos para cachorros, feitos com ingredientes que não afetam sua saúde.

O envenenamento por chocolate (assim como acontece com plantas ou produtos tóxicos) é uma das causas mais comuns de intoxicação de animais de estimação. A quantidade de teobromina que o chocolate possui, resulta potencialmente danosa ou mortal para os cães, mas isso depende de dois fatores: o tipo de chocolate (e, portanto, da concentração de teobromina) e do tamanho do animal.

O organismo de um cão pequeno suporta menos teobromina que o de uma raça grande, sendo, dessa forma, maior o risco de uma intoxicação por esse alimento para cães com estas características.

Portanto, um cachorro de menos de um quilo terá um risco de intoxicação grave, mesmo que consuma uma pequena quantidade de chocolate branco. Já um cão de porte médio, entre 12 e 13 quilos, pode sofrer o aumento do ritmo cardíaco caso consuma 300 gramas de chocolate de baixa pureza. No entanto, apenas 250 gramas são capazes de causar a morte do mesmo cachorro caso a pureza do chocolate consumido for alta.

Sintomas de Envenenamento

Se você não presenciou a ingestão do chocolate por seu animal, ele pode apresentar alguns sintomas e o recomendado é correr com ele para o médico veterinário o quanto antes. Isso também é válido para o momento que você viu seu animal comendo o chocolate. Não espere o animal demonstrar os sintomas!

Existem alguns sintomas que dão sinal de alarme, como vômitos ou diarreia algumas horas após o consumo. Quando a intoxicação é grave, ele apresenta taquicardia, que pode desencadear tremores, convulsões ou mesmo a morte.

Só o médico veterinário saberá qual o melhor tratamento para o seu animal. Os tratamentos para a ingestão de produtos venenosos geralmente são a indução ao vômito ou a realização de lavagens estomacais e para a realização desses procedimentos, é necessário o acompanhamento de um médico veterinário.

Efeitos do Consumo do Chocolate por Raça

Como falei anteriormente, a concentração de teobromina depende da qualidade e do tipo de cacau usados na produção do chocolate. Quanto mais puro o produto, maior sua concentração. A recomendação é não dar chocolate (e seus derivados) ao seu animal.

Abaixo, confira uma tabela com os efeitos do consumo do chocolate por raça. Lembrando que quanto maior a concentração de teobromina, menor a quantidade do chocolate ingerido para intoxicar seu animal (Valores estimados):

3kg (Raças Pequenas)

Quantidade ingerida (chocolate ao leite) Sintomas
35g Vômitos e diarreia
70g Aumento da frequência cardíaca
100g Tremores e convulsões
170g Risco de morte

 

15kg (Raças Medias)

Quantidade ingerida (chocolate ao leite) Sintomas
100g Vômitos e diarreia
200g Aumento da frequência cardíaca
300g Tremores e convulsões
520g Risco de morte

 

35kg (Raças Grandes)

Quantidade ingerida (chocolate ao leite) Sintomas
300g Vômitos e diarreia
630g Aumento da frequência cardíaca
940g Tremores e convulsões
1500g Risco de morte

 

A opção mais segura continua sendo NÃO dar chocolate ao seu animal. Os doces não são opções saudáveis. Além do risco de intoxicação, o excesso pode causar obesidade, problemas nos dentes e até diabetes.

Se você quiser agradar o seu animal poderá dar frutas, como um pedaço de maçã ou laranja, até mesmo aqueles biscoitos para cães. Vale frisar que o petisco, porém, não deve substituir as refeições.

Evite Intoxicações Acidentais – Recomendações

Prevenir é melhor do que remediar, já ouviu esse ditado? Pois é! Ele é super válido neste caso.

As recomendações a seguir não se aplicam somente ao chocolate:

  • Não deixe ao alcance dos cães (e outros animais domésticos) produtos que possam ser nocivos à sua saúde.
  • Eduque seu animal para que espere que as coisas lhe sejam dadas e não as roube dos pratos, das mesas ou as retire do lixo.
  • Converse com toda a família e também com os visitantes sobre os riscos de dar certos produtos ao cachorro. Se tiver crianças em casa, o melhor é que os lembre disso com frequência e assegure-se de que entendam o que isso significa para a saúde do cãozinho.

Fique atento aos sintomas que disparam o alarme sobre o envenenamento. Um atendimento rápido e tratamento imediato poderá salvar a vida de seu animal e proporcionar uma recuperação completa.

Existe Chocolate para Cachorro? (Receita Caseira)

Sim! E esses petiscos são uma ótima saída para os donos dos pidões de plantão. Você pode encontrar na internet (veja exemplos aqui) e em casas especializadas. Os chocolates para cachorro são seguros e livres de substâncias que possam fazer mal aos peludos.

Essa receita é bem fácil de fazer, é 100% segura e não vai fazer mal para o seu cão. Só tenha o cuidado de não dar tudo de uma vez para o seu cachorro comer, pois isso pode provocar um desarranjo intestinal nele. Dê em pequenas porções, como petisco.

Ingredientes:

  • 2 envelopes de gelatina em pó sem sabor
  • 10 colheres de sopa de água fria (para hidratar a gelatina)
  • 1/2 xícara de alfarroba em pó
  • 1/2 xícara de farelo ou farinha de aveia
  • 1/2 xícara de água
  • 1 forminha de ovo de páscoa

Modo de Preparo:

  1. Em um recipiente misture a alfarroba e o farelo de aveia, vá acrescentando a água aos poucos e misture bem até que vire uma massa homogênea.
  2. Após isso, hidrate a gelatina de acordo com as instruções da embalagem e junte na mistura (nesse ponto misture bem para que não fiquem pedaços de gelatina e seu ovo de páscoa fique bem lisinho).
  3. Coloque nas forminhas e leve na geladeira por 2 horas ou até endurecer.
  4. E pronto, é só desenformar com cuidado e servir tirinhas proporcionais ao tamanho do pet! Essa receita dura até 8 dias na geladeira (ou até perder a boa aparência).

Boa Páscoa!

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.