A Redenção do Anjo Caído de Fabio Baptista (Resenha)

578

Um livro recheado de sarcasmo com o bom e velho sadismo (habitual) do autor, que retrata muito de nossa atual realidade. Apesar de abordar um tema bem conhecido da maioria das pessoas, o livro tem um final surpreendente.

Sinopse

Após refletir sobre a Batalha da Queda dos Anjos e outros eventos ocorridos em sua longa existência, Lúcifer conclui que é inútil continuar lutando contra a onipotência, onisciência e onipresença do Altíssimo. Decide então se render e, com esse intuito, vai ao Paraíso, onde Deus lhe faz uma proposta: para ter chances de ser perdoado, ele deverá vir a Terra, na condição de mortal, e, aqui, precisará conviver e fazer algo bom pela humanidade que tanto despreza.

No mundo dos homens, o Anjo Caído buscará sua redenção.

E conhecerá o verdadeiro inferno.

Links: Skoob | Comprar: Amazon

Resenha

Quando o Fabio me procurou para apresentar seu mais novo romance, imediatamente aceitei ler. Já conheço a escrita do autor e sabia que estava diante de algo bom, ou no mínimo atrativo. Não me enganei. A obra é realmente muito boa!

Em seu primeiro romance, o autor nos apresenta uma história fantástica, que apesar de ser um tema bem conhecido, consegue surpreender o leitor. Lúcifer, o primeiro anjo e primeiro demônio, é nosso protagonista. Depois de muito refletir sobre todos os acontecimentos de sua longa vida, Lúcifer chega à conclusão de que não adianta guerrear contra Deus. Afinal, Deus é onisciente, onipresente e onipotente, portanto, sabe de todas as coisas, e qualquer batalha que ele queira levar contra o Altíssimo já estará perdida. Assim, Samael (o veneno de Deus) constatou que está ferrado e condenado.

Decidido a mudar esse fim trágico, o anjo caído resolve jogar a toalha e vai até o Paraíso com duas bandeiras brancas em sinal de rendição, conversar com o Pai para pedir uma segunda chance. Lá, Deus diz que pode perdoá-lo, desde que ele passe um tempo na terra, no meio dos seres que ele mais odeia (os humanos) e faça algo bom pela humanidade. Lúcifer então aceita, empenhado em conseguir provar a todos que ele é capaz e assim Deus o envia para a terra. O que ele não esperava é que viria como um mendigo, mortal e acordaria no centro de São Paulo.

É perceptível, em toda a leitura, as pesquisas que o autor fez para descrever muito bem locais (céu e inferno), personalidades (anjos e demônios)  e passagens bíblicas. O pano de fundo da história é bem fiel aos acontecimentos descritos na Bíblia (salvo um pequeno detalhe ou outro), mas esse não é um livro religioso. O autor criou uma história em cima desses fatos e desenvolveu uma narrativa envolvente, instigante e surpreendente.

Apesar de ter gostado bastante das partes onde a história se passa no céu ou no inferno, o ponto alto do livro está nos acontecimentos na terra. No momento em que Lúcifer, ou agora conhecido como Lucien, passa a conviver com os humanos e tentar encontrar essa “coisa boa” que precisa fazer por eles. O autor não podia perder a oportunidade de usar seu lado sádico e usou e abusou desse artifício. Mas como não usar isso? Estamos lidando com demônios, afinal…

A leitura te prende desde a primeira linha escrita. É impossível largar, principalmente quando estamos acompanhando Lucien. Como falei acima, não é um livro religioso, mas ele te leva a pensar. Pensar em suas atitudes, suas escolhas, suas decisões. Pensar que não estamos sozinhos no universo e que existe um plano espiritual à nossa volta travando batalhas inimagináveis aos seres humanos.

Todos os personagens foram muito bem desenvolvidos. Principalmente Lúcifer. Ele nos é apresentado como um personagem sarcástico, orgulhoso, engraçado, manipulador e até que desperta uma certa empatia… mas gente, desculpa, não consigo torcer a favor do diabo. 😀 Não espere clichês, não espere por redenção, não espere por um final pré-estabelecido. Espere por uma leitura que vai te surpreender em diversos momentos.

Eu poderia ter dado 5 flores para o livro, mas algumas coisinha me incomodaram na leitura. Achei alguns pontos com uma descrição exagerada (apesar de ter entendido o ponto que o autor queria alcançar com isso) e não tão necessárias assim. Também me incomodei um pouco com a fala de uma determinada personagem… mulheres não falam daquela maneira… (ou falam?).

No mais, o livro é extremamente envolvente. Se você gosta de fantasias que envolvam anjos e demônios, esse é um ótimo livro. Mas, já te aviso… você vai encontrar muita carnificina, maldade no estado bruto, situações que vão te fazer fechar os olhos e virar o rosto (isso aconteceu comigo)  e acima de tudo, te fará passar uns dias pensando no que você está fazendo com sua vida. Mas também vai encontrar momentos bonitos. Afinal, o bem e o mal precisa ser balanceado.

Esse post é um publieditorial. Minha opinião é sincera e não sofreu interferência do autor ou editora.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Classificação
Personagens
Narrativa
Enredo
4.6 Fantasia

Um livro recheado de sarcasmo com o bom e velho sadismo (habitual) do autor, que retrata muito de nossa atual realidade. Apesar de abordar um tema bem conhecido da maioria das pessoas, o livro tem um final surpreendente.

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.