DangeRock de M.S. Fayes (Resenha)

494

Todo adolescente que gosta de rock n’ roll já sonhou na adolescência em ter uma banda com os amigos e ficar famoso cantando os clássicos e suas próprias composições. DangeRock nos mostra uma banda formada na adolescência por quatro amigos, que agora, cinco anos depois, está firme na estrada em busca dos sonhos, o que inclui não só apenas fama e dinheiro, mas também amor.

Sinopse

 

Eve McGannon lidera a banda DangeRock desde adolescente. Sua voz atrai multidões como um ímã, da mesma forma que sua timidez a impede de confessar seu amor eterno por Brandon Conwell, o guitarrista e amigo de infância que sempre esteve ao seu lado, mas sem nunca percebê-la como mulher. Quando a banda recebe uma proposta irrecusável, o grupo unido se vê imerso em um turbilhão de sucesso absoluto e suas complicações. Isso inclui um astro musical que desperta um poderoso sentimento de ciúmes em Brandon, ao mesmo tempo em que tenta fazer Eve abandonar suas desilusões e ir em busca de novos sonhos. Eles aprenderão que o coração comanda todos os atos dentro e fora do palco. Basta apenas que sigam os sentimentos através das melodias que eles mesmos entoam.

 

Links: Skoob | Comprar: Saraiva –  Amazon

Resenha

Quatro amigos e um único sonho: serem estrelas do rock e viverem bem dos ganhos da sua música. Mas para isso eles vem batalhando pesado a cinco anos, e continuam juntos na estrada como uma grande família. E, como toda boa família, eles possuem seu drama interno, o que no caso, é o drama da Eve, nossa vocalista tímida que desde a infância é completamente apaixonada por seu melhor amigo, e guitarrista da banda, o Brandon. Pena que ele só a enxerga como uma “irmã” e vive de pegação com qualquer mulher que o dê bola. E vamos combinar, depois de tantos anos, Eve meio que já está de saco cheio de não ser notada.

Com seus cabelos roxos e sua paixão pelo Rock, Eve pode ser tida como “porra louca” as vezes, mas ela ta aí para provar que sexo, drogas e rock N’ Roll não estão tão intimamente ligados como dizem. Drogas não é a praia de Eve, o sexo talvez fique por conta dos outros três integrantes da banda que sempre estão envolvidos em aventuras sexuais (não que nós tenhamos os detalhes sórdidos, mas temos uma ideia da coisa) e o Rock N’ Roll é mais que garantido. DangeRock está na estrada e após cinco anos de muita luta, conseguem uma chance de ouro: o grande astro Mitch Clay reparou neles e os quer abrindo os show da sua banda! Eles topam, e é ai que as coisas melhoram e pioram ao mesmo tempo.

O livro é narrado pelo ponto de vista da Eve e alterna entra uma narrativa do Mitch e do Brandon, o que algumas vezes me deixou confusa. Em alguns momentos eram sinalizadas as mudanças de narrador, mas admito que eu achei todos muito parecidos na forma de pensar e agir, e isso não me agradou muito. Acho que se a narração tivesse sido mantida só na Eve, a narrativa teria funcionado melhor ao meu ver. Fora que alguns momentos de deslize, enquanto um narrava havia algumas colocações “erradas”, por exemplo, Eve estava narrando, em primeira pessoa, e quando ela falava algo, aparecia ao final algo tipo “ela falou”. Se é que vocês me entenderam.

Sexo, drogas e rock N’ Roll?

A escrita da autora é bem fluida e gostosa de ler, mas não sei, acho que o livro não faz muito meu estilo, pois achei que tinha muito “mimimi” e pouca “ação”. A Eve passou mais tempo chorando suas lamúrias que realmente fazendo algo. Tinha horas que dava vontade de dar umas sacudidas nela e gritar: “ACORDA PRA VIDA MULHER!”. O Brandon era outro que eu não sabia se eu dava uns tapas, ou uns beijos. Que foi? Pela descrição ele era lindo de morrer e eu também quero minha chance. rs. Brincadeiras a parte. O casal principal não me cativou tanto. Admito que cheguei a torcer para a Eve dar um pé na bunda do Brandon e partir para outra.

O Mitch foi uma surpresa e uma decepção. Não sei, acho que eu esperava outra coisa dele, ou do rumo da história. Algumas coisas foram muito fáceis e até meio sem lógica para mim, em alguns momentos, mas como sou aquele tipo de pessoa paranoica que quer ver todos os ângulos bem fechados, admito que isso não influenciou tanto assim.

Mas Milena, você não gostou do livro?” Calma gente, eu gostei sim. Não gostei 100%, e achei algumas partes um pouco enfadonhas, mas de forma geral achei uma leitura divertida e li super rápido. Foi a primeira obra que li da autora e acho que ela possuí um grande potencial!

Para quem gosta de música, no famoso Spotify tem uma playlist dedicada ao livro! Não sei dizer se as músicas da playlist estão presentes no livro de forma traduzida, pois há trechos de músicas no livro, mas quando li achei que eram criações da autora, ou se foram músicas que a inspiraram no processo de escrita, mas são músicas muito legais, e se quiserem conferir, é só clicar AQUI.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Classificação
Personagens
Enredo
Narrativa
Capa
3.8 YA

Todo adolescente que gosta de rock n' roll já sonhou na adolescência em ter uma banda com os amigos e ficar famoso cantando os clássicos e suas próprias composições. DangeRock nos mostra uma banda formada na adolescência por quatro amigos, que agora, cinco anos depois, está firme na estrada em busca dos sonhos, o que inclui não só apenas fama e dinheiro, mas também amor.

About The Author

Acadêmica do curso de Sistemas de Informação – UESB. Blogueira, Beatlemaníaca, leitora compulsiva e cinéfila.