Um Acordo e Nada Mais de Mary Balogh

73

‘Um acordo e nada mais’ é um livro doce. Uma leitura encantadora, envolvente e comovente. A gentileza e doçura dos personagens são tão contagiantes que me fizeram terminar o livro com a sensação de que a humanidade tem solução! Uma obra linda, delicada e que recomendo a todos que amam um excelente romance de época.

Sinopse

 

Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.

No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.

Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.

No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.

Link: Skoob | Comprar: Amazon

Resenha

Desde o primeiro livro que li da Mary Balogh (Série Os Bedwyns), me apaixonei completamente pela escrita da autora, por sua forma de contar histórias de uma maneira diferente das muitas que existem dentro do gênero e por sua capacidade de criar personagens marcantes. Com O Clube dos Sobreviventes essa paixão virou amor.

Nesta nova série, a autora aborda temas importantes, que por muitas vezes negligenciamos. Os sete sobreviventes do clube foram marcados de alguma forma durante as guerras que batalharam (e sobreviveram). Nem todos carregam sequelas físicas, mas todos carregam sequelas psicológicas e encontraram, uns nos outros, um porto seguro, a forma de curar suas feridas. Essa amizade entre eles, a superação de cada um, o “seguir a vida” apesar dos traumas, suas histórias de amor e a “cura” é o que torna tão marcante essas histórias.

A trajetória dos personagens é algo apaixonante. Até mais do que conhecer suas histórias de amor. E sabe o que eu achei mais gostoso de ler? O crescimento acontece não só na vida dos 7 sobreviventes. Também acontece com seus respectivos pares, que não estiveram em um campo de batalha, mas enfrentaram suas próprias guerras.

Em Uma proposta e nada mais, primeiro livro da série, conhecemos um pouco de todos os integrantes do clube e pela primeira vez na minha vida como leitora, gostei de todos os futuros protagonistas. Cada um com suas peculiaridades, personalidades e traumas, me conquistaram no primeiro momento. Hugo (livro 1) é um gigante sensível por trás daquela carranca que provoca arrepios em todos. Vincent (livro 2), o sarcástico,  com maior percepção de tudo à sua volta (apesar de ser cego) é o mais doce e gentil. Talvez, a “mudança” nas atitudes dele em Um acordo e nada mais, tenha causado certa estranheza aos leitores. Não estranhei e consegui compreender o que a autora tentou passar com isso.

No primeiro livro, Vincent é mais independente, com tiradas sarcásticas, brincalhão. No livro dedicado a ele, vemos um homem controlado pelas mulheres de sua família, sem muitas atitudes e sem saber como sair de uma situação que ele mesmo permitiu acontecer. Como Visconde, ele precisa tomar a frente dos negócios da família, porém, por sua condição atual, se deixou ser “sufocado” por todos os cuidados de sua mãe, avó e irmãs. Realmente ele é um Vincent diferente do primeiro livro, mas foi lindo de ver o crescimento dele ao lado de Sophia e todas as suas conquistas.

Me encantei com a forma como Mary mostra que é possível sim ter uma vida “normal” dentro das limitações de um cego. É possível ter certa “liberdade” e viver como qualquer pessoa detentora de uma visão perfeita. Adorei acompanhar a sensação de vulnerabilidade, os medos e principalmente, a superação de cada obstáculo imposto pela vida.

‘Um acordo e nada mais’ é um livro doce. Uma leitura encantadora, envolvente e comovente. A gentileza e doçura dos personagens são tão contagiantes que me fizeram terminar o livro com a sensação de que a humanidade tem solução! Uma obra linda, delicada e que recomendo a todos que amam um excelente romance de época.

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

5 Romance

'Um acordo e nada mais' é um livro doce. Uma leitura encantadora, envolvente e comovente. A gentileza e doçura dos personagens são tão contagiantes que me fizeram terminar o livro com a sensação de que a humanidade tem solução! Uma obra linda, delicada e que recomendo a todos que amam um excelente romance de época.

About The Author

Nerd, Geek, viciada em livros, youtuber, aspirante a jornalista, apaixonada por animais e nas horas vagas tenta ser engraçadinha.