De Sangue e Ossos da Nora Roberts

329

De sangue e ossos é o segundo livro da trilogia Crônicas da Escolhida e, apesar de ter momentos tensos com bastante ação, Nora nos permitiu respirar um pouco e relaxar, diferente de Ano Um, o primeiro volume.

Sinopse

Um novo poder está surgindo

Fallon Swift pouco conhece do mundo que existiu antes da Catástrofe. As cidades estão destruídas, gangues de criminosos e de fanáticos religiosos cruzam as estradas à procura de sua próxima vítima e aqueles que têm poderes mágicos como ela continuam sendo caçados.

Prestes a completar 13 anos, Fallon sabe que se aproxima o dia em que sua verdadeira natureza, sua identidade como A Escolhida, será revelada. No meio da floresta, ela começará seu treinamento sob a orientação do feiticeiro Mallick, que vem apurando as próprias habilidades ao longo de séculos.

A menina aprenderá métodos antigos de cura e técnicas de luta, conviverá com fadas, elfos e metamorfos e precisará descobrir dentro de si um poder que nunca imaginou possuir. Quando o momento certo chegar, Fallon vai empunhar a espada e o escudo e partir para cumprir sua missão.

Até que ela cresça o suficiente para se tornar a mulher que está destinada a ser, o mundo continuará em perigo. Fallon Swift é A Escolhida, e só ela poderá salvar a humanidade.

SEGUNDO VOLUME DA TRILOGIA DISTÓPICA CRÔNICAS DA ESCOLHIDA.

Resenha

De sangue e ossos é o segundo livro da trilogia Crônicas da Escolhida e, apesar de ter momentos tensos com bastante ação, Nora nos permitiu respirar um pouco e relaxar, diferente de Ano Um, o primeiro volume.

O mundo continua um caos. Acredito que esteja ainda pior do que no primeiro livro, mas as pessoas entenderam que precisam viver em grupos para sobreviver. O problema é que esses grupos são formados tanto por pessoas boas como por sádicos. Os perigos são muitos, mas a nossa pequena Fallon está bem protegida na fazenda, junto com sua família.

Acompanhamos a rotina da escolhida na fazenda, sua interação com os pais e irmãos, até seu aniversário de 13 anos, quando a vida pacata (na medida do possível) se transforma em um árduo treinamento. E é aqui que a autora nos permite um período de “paz” e calmaria, deixando o leitor respirar, conhecer a protagonista e se encantar por esse novo mundo.

Um vírus que dizimou a humanidade

Apesar de ser uma distopia os elementos fantásticos estão ainda mais presentes neste volume. O clima de tensão continua em diversos momentos, pois os perigos não deixaram de existir, pelo contrário, ficaram piores, mas temos mais momentos tranquilos que o livro anterior e isso é bom, pois o ritmo de leitura não fica tão acelerado. Nora Roberts soube mesclar muito bem os gêneros, dosando ação, tensão e alívio da maneira certa, imergindo o leitor mais profundamente na trama.

Confesso que Fallon não me cativou completamente, talvez por ser ainda uma adolescente imatura e não saber como lidar direito com algumas situações, mas gostei do desenvolvimento da obra, da tensão, do clima pós-apocalíptico e principalmente dos seres fantásticos. Claro que um romance começou a se desenvolver, mas ele ficou em segundo plano, para ser melhor explorado no 3º livro.

E por falar em 3º livro… estou super ansiosa para ler e saber como essa história termina. Durante minha leitura estive o tempo inteiro com o coração nas mãos porque o elemento que ocasionou o caos no mundo de Fallon foi um vírus, dizimando num primeiro momento a humanidade e nós estamos vivendo um período de pandemia, provocado também por um vírus mortal, o que deixa aquele friozinho na nossa espinha no decorrer da leitura, imaginando que toda essa história poderia ser parte da nossa realidade… Super recomendo a trilogia!

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

5 Distopia

De sangue e ossos é o segundo livro da trilogia Crônicas da Escolhida e, apesar de ter momentos tensos com bastante ação, Nora nos permitiu respirar um pouco e relaxar, diferente de Ano Um, o primeiro volume.

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.