Uma homenagem para minha mãe

275

Hoje é um dia especial e também um dia difícil para mim. Estou sem saber o que escrever, mas vamos lá! Tem 3 anos que perdi minha mãe e isso ainda dói absurdamente. Acho que vai doer o resto de minha vida. A gente aprende a conviver com a ausência, só que a saudade fica ali, incomodando, martelando, sempre dando sinal de vida. Quando me dei conta de que não teria mais o colo dela pra correr foi desolador…

Minha mãe era cheia de defeitos, mas eu a amava mesmo assim. A gente brigava muito porque a dona Isaura era a “rainha do drama” e eu nunca tive muita paciência (drama só nos meus livros!), mas ela era minha melhor amiga. Éramos mais amigas do que mãe e filha; na verdade eu era mais mãe dela do que ela era minha. Nossa relação era assim: eu era a princesinha dela, ela a minha rainha; eu era a mãe nos momentos de crise, ela assumia o posto na hora de me dar conselhos e broncas.

Minha mãe me ensinou muitas coisas e a principal de todas foi o amor incondicional. Ela nunca se colocou em primeiro lugar, pelo contrário, ela vivia para os filhos. Pode perguntar aos meus irmãos que irão confirmar. Minha mãe sempre foi muito guerreira. Nunca teve medo de arregaçar as mangas para trabalhar e ajudar meu pai nas inúmeras crises financeiras que enfrentamos. Ela era uma leoa e protegia a família com unhas e dentes. Apesar de demonstrar toda essa força, minha mãe tinha um lado muito frágil que eu, por ser a única filha mulher, acompanhei de perto e sofria junto com ela quando a depressão tirava seu brilho e vontade de viver. Eu só queria vê-la feliz me doía não conseguir ajudar.

Mãe é sinônimo de amor

Minha mãe me ensinou a ser como sou. Ela me mostrou o quanto uma mulher pode ser forte, que devemos ser ouvidas, que podemos fazer qualquer coisa que tenhamos vontade, que nosso lugar é onde quisermos estar e, acima de tudo, que temos o direito a fazer escolhas. Ela me ensinou o amor que ultrapassa todas as barreiras, me ensinou o significado do amor de uma mãe. Eu optei por não ter filhos (ao menos não filhos humanos) mas eu sei o que é o amor de mãe porque ela me mostrou como era. Não tenho filhos, mas sou capaz de dar a vida e de fazer qualquer coisa por cada um dos meus sobrinhos.

Ser mãe é uma dádiva e é muito mais do que só colocar filhos no mundo. Ser mãe é amar, é se doar, é ficar feliz com a felicidade do filho. Ser mãe é referencial de porto seguro, é amizade, é confiança, é o amor na sua forma mais sublime.

A homenagem de hoje é para a minha rainha, a mãe mais amorosa e chata do mundo (risos), mas também é para todas as mães que me seguem, que acompanha minhas loucuras por aqui, que separa um tempinho para ler meus textos e ver minhas dicas. É para as mães que estão cansadas, descabeladas, exaustas por causa dos percalços da maternidade. É para aquela que é mãe de pet, que é tia-mãe, que é “pãe”. Todas vocês merecem homenagem todos os dias do ano!

E quero deixar um recadinho para os filhos: aproveite bem o colo de sua mãe enquanto você o tem. No dia em que você perder isso, vai compreender o tamanho do buraco que essa ausência deixa em nosso peito. Ame sua mãe, abrace, beije, seja paciente. Retribua com amor, pois o amor tudo supera, tudo pode e tudo modifica.

Feliz dia das mães!

Total 3 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

About The Author

Escritora, Geek, amante dos livros, youtuber, apaixonada por animais e não larga uma xícara de café.